25 de jul de 2010

Apenas um sonho.

Quando deu 10 horas da noite percebi quando abri a janela do meu quarto a lua naquela imensidão brilhava de ante de mim, acabei perdendo o sono, mais quando peguei um livro que falava de amor, percebi que o sono acabou de chegar, fechei a janela, acabei me lembrando de você, aquele rosto angelical me olhando como se fosse me pedir em casamento, mais só foi uma alucinação, de repente percebi que meus olhos estavam fechando. Resolvi então fecha-los de vez. De repente acabei acordando, tomei meu banho rápido, me arrumei e fui para a escola, tudo me lembrava você, sua voz suave, seu cabelo curto preto, seu sorrio, tudo praticamente, imaginava você na minha imaginação. Cheguei à escola, toda arrumada, aquele céu cor de águas cristalinas, e o sol escaldante, dava a minha imaginação uma cor, um brilho uma imensidão meus amigos ali na porta da sala, com cara de que esperavam alguma resposta minha, um sim ou não. Quanto eu menos espero surge você com aquela voz suave me abraçando e me pegando na mão que me levara para um banco na escola onde ali me pedia em namoro. Meu sorriso radiante tomava conta do meu rosto fazendo com que uma lagrima caísse sobre minha face, minha boca mexeu fazendo soar um som de sim e meu coração nem se fala, estava na boca onde batia desesperadamente, fiquei sem reação, por um descuido meu, caiu meu refrigerante que estava ao meu lado quando me dei por fim, que aquilo era um sonho eu me encontrava ainda deitada na cama, já com o relógio despertando, levantei, sentei na cama e me dei por conta que aquilo não se passava de um sonho inútil, que aquilo não era real e que eu sabia que você não poderia estar em meus sonhos e muito menos em minha vida. Sei que fui tola em acreditar que você era o príncipe mais nessa altura no campeonato já acredito em tudo, em ate fadinha transformando uma princesa. Mas tudo bem, nada na vida e como agente quer, e quando agente se der por conta já estamos velhos e vamos morrer, por isso que agora em diante sigo minha vida em frente, sem levar em consideração o que as pessoas realmente pensam ou acham de mim.

2 comentários:

Paulo Paraense disse...

Já li várias postagens suas, seu blog é envolvente e nos prende com a leitura!
Esse sonho é um daqueles que a gente se pergunta: "Por que não pode acontecer mesmo?"
já é o terceirou ou quarto post que leio e já quero ler mais.
Gostei do seu jeito de escrever, simples, direto e profundo!

"Todas as cartas de amor são ridículas, não seriam cartas de amor se não fossem ridículas. Escrevi em meu tempo cartas de amor, como as outras...Ridículas!"
(Fernando Pessoa)

Simplesmente encantador!
beijos
todososismos2.blogspot

Aquelas Cartas;* disse...

OBG Paulo, fiquei um tempo sem net e não pude atualizar o BLOG, mas agora estou de volta e com muitos textos novos, espero que voce tenha gostado gostei muito de saber que tem alguem que apoia o que eu realmente fasso.

Postar um comentário